Resenha - Liberta-me, por Tahereh Mafi













Ficha Técnica:
Nome Original: Unravel Me
Autor: Tahereh Mafi
Ano de Lançamento: 2013
Páginas: 448
Gênero: Ficção científica
Editora: Novo Conceito





Sinopse:
Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette. Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor. A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

Resenha:
Já no ponto ômega, onde pessoas como ela vivem, ou seja, pessoas com dons, com poderes, Castle, o líder do Ponto Ômega, faz com que Juliette aceita o que é, aceita seus dons.
Adam também tem poderes, é lá que descobre que o quê mais temia está prestes a acontecer, Juliette está envolvida e ele não tem coragem de contar.
Warner está a sua procura, faz de tudo para encontrá-la, ele a quer de volta no Restabelecimento, mas não como uma arma, porque esse nunca foi o principal motivo.
Castle está preparando todos para uma guerra, onde querem acabar com o Restabelecimento, mas o que não esperam é Anderson está no setor 45, a procura de Juliette e a quer morta.
Juliette guarda um segredo, que descobriu quando fugia do Setor, Warner pode toca-la, ninguém sabe a não ser ela, que torce para que ele não perceba, mas ela sabe que ele é mais esperto que isso, ele vai perceber.
A Guerra inicia, e mortes, torturas, bombas, lutas, vidas, explosão está acontecendo, eles têm que se salvar e salvar a população, mas todos sabem que é difícil ganhar uma batalha com o Setor, mesmo com todos tendo poderes ali dentro do Ponto Ômega.
Enquanto a guerra está do lado de fora, Anderson só se preocupa em matar Juliette.
Ela tem o seu dilema, entre Warner e Adam, não sabe o que se passa toda vez que Warner se aproxima, toda vez que ele se declara, mas ela sabe que seu amor por Adam continua ali, mesmo não estando juntos.
Warner se mostra outra pessoa, um menino cheio de medos e inseguranças, mas que veste a máscara de monstro para ser temido pelo seu Setor.
Juliette tem que se decidir se quer morrer ou lutar com seu povo, lutar ao lado de Kenji, Adam, Castle e todos ali que vivem com ela. Ela tem que decidir o que quer ser.

Opinião:
Eu como sou apaixonada por essa série, não tem como não elogiar. Warner me conquistou cada vez mais, não tem como não se apaixonar por esse menino, quem o odiava em Estilhaça-me, com certeza vai mudar sua ideia ao ler Liberta-me, cara, esse homem é perfeito.
Adam como sempre me estressando, eu não consigo gostar desse menino, pelo amor, que coisa intragável.
Juliette, sua ladainha de vítima me cansa, mas eu entendo, ela sofreu muito, pensar que pode matar só de tocar, não deve ser nada fácil né? Tem uma parte que eu quase estrangulo-a, eu sou Team Warner e sempre vou defende-lo, o que ela faz com ele me quebra o coração.
Warner faz tudo para ter Juliette, o cara se apaixona, um menino que é um monstro se apaixonar? Realmente ele não é um monstro, mas todos o veem como um, só Juliette consegue se aproximar do verdadeiro Warner. É lindo como ele se mostra para ela.
Bom, parar de contar o livro, eu posso ficar aqui dias e dias mostrando o porquê de apaixonar por Warner, mas vou deixar vocês com gostinho de ler.
Vale muito a pena ler, eu recomendo a todos.

Marilia Merlino

Tenho 23 anos, moro no interior de São Paulo e adoro tudo que é relacionado a beleza, moda, bem estar, saúde, cultura. Acredito que o quê me faz bem poder também fazer bem ao meu proximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário